Hermès, a mais antiga e tradicional

Como tudo começou?

Antes de mais nada é importante salientar que a Hermès é uma famosa maison francesa que teve início quando Thierry Hermès abriu um atelier de fabricação de correias e bridões para cavalos. Logo a empresa passou a fabricar selas também. 

Hermès participava e vencia concursos e exposições com esses produtos equestres e, dessa forma, acabou conquistando o pedido de produção de artigos para todos os cavalos do último Czar da Rússia. Sinônimo de luxo e mundo equestre,  a marca também forneceu equipamentos para cavalaria francesa.

Entretanto, com o advento e a popularização dos carros, a marca passaria a ficar mais ligada ao mundo esportivo da equitação e passa a expandir seus produtos para linhas de bolsas, cintos, sacolas, coleira pra cães, carteiras, etc. De qualquer modo, todos os artigos apresentam a qualidade de serem costurados à mão, com técnica de dupla laçada, como são feitos os produtos de selaria.

No decorrer da evolução da marca, já em sua terceira geração, representada pelo neto do fundador, Èmile Maurice Hermès, foi realizada uma visita aos Estados Unidos em busca de fornecedores de couro. Nesta ocasião Èmile conhece o zíper e solicita a patente para produzir na Europa.

Curiosidade: o clássico e elegante tom de marrom das embalagens da Hermès foi substituído pelo laranja devido à escassez do pigmento mais escuro, durante a Primeira Guerra Mundial.

A Hermès torna-se concorrente direta da Louis Voitton, cujos principais produtos são malas e bolsas. Em virtude desta concorrência, em 1935, é criada a bolsa sac à dépêches, bolsa para despesas, ou seja, de todas as horas. A qual alcançou sucesso de vendas desde o lançamento.

Além disso, passam a produzir a tradicional linha de lenços de seda com estampas equestres ou com a temática de viagens. Outra peça famosa é a gravata Hermès. Bem como, mantém uma linha de perfumes clássicos que são continuamente fabricados, desde 1951.

 

Hermès Sac à Dépêches

Os artigos mais luxuosos e valorizados

Outro dos itens de luxo mais desejados é criado em 1956: a bolsa Kelly, inspirada na princesa Grace Kelly. A bolsa Constance, mais um sucesso, é lançada três anos depois e tem formato de sela, esta torna-se conhecida como a preferida de Jaqueline Kennedy. Em 1975 ocorre o lançamento também do relógio Kelly, com um cadeado pendente em uma pulseira de couro, o relógio é fixado no cadeado.

 

Kelly, Bolide, Constance

Uma curiosidade sobre a bolsa Kelly é que ela só pode ser carregada se estiver fechada. Atualmente as cores dessas famosas e desejadas bolsas são lançadas por estação. Os modelos em tons de rosa são os mais caros. Fato interessante é que o dia de transporte da linha de produção para loja é confidencial para evitar o roubo das bolsas, muito valiosas. 

O carimbo em forma de ferradura, no interior do produto, significa que a bolsa foi um pedido sob medida, cujas variações compreendem a cor do couro, tamanho, cor do metal, cumprimento da alça, iniciais da dona, entre outros. São bolsas de 200, 300 mil dólares. 

Apenas clientes que já compraram em torno de 1 milhão de dólares em outros produtos conseguem escolher itens sob medida.

Hermès e a bolsa Bolide 

Em 1922, época dos anos loucos, ocorre a produção da primeira bolsa com zíper, a Bolide, cujo nome é inspirado na indústria automotiva, uma época na qual a velocidade ganha um novo patamar. A Bolide é um acessório para usar no automóvel também, pois os primeiros carros não tinham porta-malas, e o fechamento com zíper é bastante seguro. 

O público-alvo da Hermès pertence a uma elite que, com o advento do automóvel, passa a fazer viagens rápidas, de final de semana. São pessoas que priorizam a mobilidade e a funcionalidade, sempre com elegância.

Já em 1982, a famosa bolsa Bolide foi repensada, reeditada e rebatizada de Bugatti, em homenagem à antiga amizade entre as famílias Hermès e Bugatti. Porém os Bugatti acabam processando a Hermès pelo uso do nome. Em 2018 é criada a versão da Bolide especialmente para comportar um laptop.

Outro modelo famoso da Hermès é a Birkin, a bolsa mais desejada da indústria da moda. Esse modelo não fica em exposição na loja, só é apresentada para ótimos clientes. Sendo assim, geralmente os clientes acabam adquirindo este item em leilões. 

Existem 5 tamanhos da Birkin. A mais valorizada já produzida é a bolsa Matte Himalayan Niloticus Crocodile Birkin, com fecho de brilhante, em ouro branco, feita em crocodilo albino. Preço: mais de 300 mil dólares.

 

Birkin Matte Himalayan Niloticus Crocodile

O conceito da marca Hermès

A maison Hermès considera que não produz itens de consumo, e sim para uso diário, porém com qualidade superior. Seus produtos são também atemporais, de modo a serem passados de geração em geração.

Uma das características mais interessantes é que os lançamentos visam complementar coleções anteriores, agregando valor às peças, cujo uso demonstra que o cliente já tem tradição com a marca. Tudo perdura, é hereditário e evolui.

Esse conceito vai ao encontro da sustentabilidade, ou seja, à medida que os produtos tem tanta qualidade que podem ser usados diariamente mantendo-se em perfeitas condições e, ainda, passado em herança, isso evita o consumo exagerado. 

Além do mais, a ideia de que cada nova coleção complementa às anteriores, cria uma perenidade e constante valorização da marca.

Então, você curtiu esse artigo? Me conta nos comentários o que você acha deste conceito de marca da Hermès.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.